Apresentação

 

O novo coração da cidade mostra o futuro da Barra da Tijuca

O Centro Metropolitano ocupa uma área de cerca de cinco quilômetros quadrados (equivalente a 10% da Barra da Tijuca), delimitada pelas avenidas Embaixador Abelardo Bueno e Salvador Allende e pelo Arroio Pavuna. É o centro geográfico do Rio. Foi planejado por Lúcio Costa, no Plano Piloto da Baixada de Jacarepaguá, publicado em 1969, com o objetivo de ser o “novo coração” da cidade e sede do governo do então Estado da Guanabara.
 
Na proposta do urbanista, o Centro Metropolitano serviria como ponto de partida para o desenvolvimento da cidade rumo à Zona Oeste. Para isso, Costa desenhou prédios de 45 e de 75 andares, mas o plano acabou não vingando.
 
Do projeto original, porém, foram mantidas a infraestrutura projetada, com dois eixos (norte-sul /leste-oeste), ambos com 100 metros de largura; avenidas de 50 metros e ruas de 25 metros. É nesse ambiente que se desenvolve o Centro Metropolitano, hoje considerado o marco de uma vasta área que vai do início da Avenida. Embaixador Abelardo Bueno (no entroncamento com a Avenida Ayrton Senna), englobando a Avenida Salvador Allende até o bairro planejado Ilha Pura. Toda a iluminação é em LED.
 
Em termos de mobilidade, o Centro Metropolitano é servido por duas estações BRT e tem acesso fácil pela Transcarioca e linha Amarela, integrando as regiões do Rio de Janeiro.
 
Entre os empreendimentos já instalados no Centro Metropolitano destacam-se o Hilton Barra Rio de Janeiro (primeiro hotel da tradicional bandeira americana no Rio), com o Shopping Metropolitano Barra (com 206 lojas, sete salas de cinema e um jardim vertical de 1.600 m², um dos maiores do mundo) e o Universe Empresarial, um empreendimento com sete torres, 642 salas comerciais, escritórios de vila duplex e lojas. A área tem ainda um cartão-postal: as Fontes da Barra, medindo 70 x 600 metros, com seu espetáculo de água e luzes.
 
 
 

Localização

Av. Embaixador Abelardo Bueno 1000.
22775-040 ‎

Galerias

Infraestrutura

Lupa